ADMINISTRAÇÃO GERAL

Abordagem sobre a Adm. Geral

A administração da próxima sociedade

imagem.jpg 

As grandes mudanças, sobretudo as decorrentes dos impactos sociais da revolução da informação, serão a prioridade absoluta do executivo nos próximos dez ou quinze anos. As tendências que estão mudando o nosso mundo, transformando-o no que Peter Drucker chamou de a ´Próxima Sociedade´, são o tema deste livro, que traz novamente a público as análises e previsões repletas de brilho, lucidez e sabedoria do consagrado guru da administração. Para o autor, o sucesso ou o fracasso das empresas não estará propriamente atrelado às mudanças econômicas, e sim às sociais, que trarão consigo os maiores desafios e as grandes oportunidades.

agosto 3, 2007 Posted by | Sem categoria | 2 Comentários

Administração Contemporânea

Colhemos a opnião dos professores da Faculdade Juvêncio Terra à cerca do mercado de trabalho em Vitória da Conquista e também a importância da faculdade na formação do profissional de administração.

Confiram no video:

junho 17, 2007 Posted by | Sem categoria | 1 comentário

A gestão de si próprio

Infelizmente, nos dias atuais, a maioria das pessoas só se dá conta das mudanças que ocorrem no conceito de carreira, quando são demitidos. E, nesse momento, desnorteados, procuram diferentes interpretações para o fato e o mais comum é transferir a responsabilidade da derrota à empresa, colocando-se, na maioria das vezes, no papel de vítima. Dias após, ainda um tanto quanto perdido, tenta buscar uma resposta para o fato. Conversa com amigos, queixa-se da situação, lembra que sequer têm um currículo atualizado e o temor só aumenta.

A sensação de impotência frente à situação do desemprego piora. Quanto mais ouve os noticiários mais se conscientiza de que o mundo nas relações de trabalho está mudando e o tão sonhado e confortável emprego vem sofrendo fortes mutações, e que as condições de estabilidade, até então oferecidas vêm perdendo rapidamente as forças. Infelizmente, as rotinas do dia-a-dia o consumiram tanto que sequer permitiu que ele pudesse se dar conta da situação.
Após mais um período de maturação, o profissional passa a questionar-se com mais freqüência, sobre o que poderia fazer ou ter feito para prevenir o desemprego e começa a perceber que cabe somente a ele a gestão de si próprio, porque empregador nenhum tem a responsabilidade de cuidar do empregado, e, muito menos, de sua carreira.

Acabam percebendo que nos dias atuais, as organizações não estão mais dispostas a manter o custo de um corpo permanente de empregados para realizar grande parte dos serviços de que necessitam e que muitas nem têm condições de pensar nisso. Vários desses trabalhos já nem precisam ser realizados continuamente. Nesse caso, muitas organizações não mais precisam de empregados fixos, mas de prestadores eventuais de serviços.

É nesse contexto que se discutem as novas maneiras de gerir a própria carreira como via de mão única, considerando o novo desenho que se apresenta no mundo do trabalho, que foca o profissional como responsável pela transformação da própria profissão e, como conseqüência, da própria carreira, como forma de preparar-se para o desemprego. Se tivermos que atribuir alguma responsabilidade às organizações, essas deveriam estimular seus profissionais a se conhecer melhor e a preparar seu roteiro de carreira, de forma que possam construir uma visão mais clara de onde pretendem chegar, quer corrigindo rumos, quer identificando objetivos novos. Quem sabe um investimento como esse, faça desse profissional uma pessoa mais pró-ativa, de modo que ele venha a contribuir com visão mais empreendedora para a própria empresa onde trabalha.

A outra fonte de estímulo deveria acontecer pela inserção de disciplinas nos cursos de graduação voltadas para o ensino de orientação de carreira ou da própria gestão de si próprio. Assim sendo, o jovem teria a oportunidade de refletir sobre as mudanças e de traçar seu caminho no novo conceito de trabalho versus gestão da carreira. Mesmo sabendo que não é tarefa simples, pois não se trata de habilidade que possa ser desenvolvida rapidamente, seria o primeiro passo para a construção e para a quebra de paradigmas.

O principal desafio desse novo modelo que se apresenta é o de desenvolver a busca do auto – conhecimento que se incorpora através do saber, e que exige investimento e dedicação de si mesmo, num tempo que requer mudança de pensamento e de visão, como forma de alcançar a satisfação dos objetivos da carreira e da vida profissional.

A gestão de si próprio faz parte de uma escolha que cada qual pode fazer e para começar a construção desse novo pensamento, comece pela reflexão ao se perguntar: “quem eu sou”, qual é o meu lugar, quais são minhas aptidões, qual é meu temperamento e minha real capacidade de realizar aquilo que desejo alcançar. A responsabilidade de autogestão não é tarefa simples, ao contrário, ela depende única e exclusivamente de cada um de nós.

Alberto Oliveira Coqueiro



junho 16, 2007 Posted by | Sem categoria | Deixe um comentário

A ACEITAÇÃO DOS FORMANDOS EM ADMINSTRAÇÃO NO MERCADO CONQUISTENSE

Os empresários conquistenses tinham a idéia de que administrar uma organização era somente o papel do dono, mas esta cultura tem mudado. Com o passar dos tempos e a exigência do próprio mercado, também com o surgimento de várias dificuldades devido a centralização de poder que existia nas organizações, os empresários conquistenses foram se sentido sós e com uma grande responsabilidade sobre seus ombros de comandar, estruturar e planejar todas as ações para sua organização, surgindo a necessidade de divisão de tarefas. Sabe-se que ainda existem vários empresários com pensamento antigo mais isto tem mudado no mercado conquistense, este fato tem sido tema de várias monografias de graduandos em administração e tem sido comprovado que o mercado conquistense tem procurado absorver estes profissionais da área. Sabemos que isto é só o começo, pois tinha-se a mentalidade de que o único ramo que poderia absorver ao profissional de administração eram as grandes e médias indústrias mais isso tem mudado pois podemos observar no mercado conquistense várias contratações destes profissionais não somente nas indústrias conquistenses mais também na área hospitalar e do comércio. Sabemos que este crescimento será gradativo mais os administradores conquistenses já podem comemoram e cada vez mais procurar estar sempre se atualizando para que tenha o mercado de sua região para estar mostrando a qualidade e potencial dos administradores conquistenses, como prova disto temos várias organizações de sucesso devido ao potencial do administrador e também de todo o comprometimento da equipe, pois sem o comprometimento de toda a equipe o trabalho dos administradores será em vão.

Paulo Eduardo Cabral

junho 16, 2007 Posted by | Sem categoria | Deixe um comentário

O Aprendiz 4 – O Sócio

Esta chegando em sua fase final O Aprendiz 4, é um programa interessante, mas que no fundo se percebe estrategias de marketing. Mas do que uma seleção, o programa deve estar rendendo muito para Roberto Justus, que além de ter a sua imagem pessoal em alta, coisa bem obvia para os que assistem, os comérciais durante o programa gira em torno de empresas que aparentam ter as cotas com as empresas dele.

Para os que gostam do Taylorismo é um bom exemplo de aplicação atual dessa teoria. Esse processo de seleção estimula muitas vezes os sentimentos mais baixo dos participantes, egoismo, orgulho, inveja, muitos já tentaram agredir fisicamente o outro após saber que estaria fora.

Podemos tirar proveito de muitos ensinamentos, mas devemos ter uma análise crítica para não achar aquele modelo é algo “justo” para detectar verdadeiros profissionais.

Wedson Barbosa

junho 15, 2007 Posted by | Sem categoria | Deixe um comentário

CASA DO MEL “EMPRESA CONQUISTENSE”

  MEL APIS JORDANS

               Jordans iniciou como produtor amador em 1991 e seu desafio foi levar esse produto para o mercado conservando todas as propriedades e todos os benefícios que o mel proporciona, as embalagens adequadas, qual o método de extração, beneficiamento e conservação, técnicas e cuidados regulamentados pelo Ministério da Agricultura e ANVISA. Esses aspectos são desenvolvidos por ele em sua empresa. Criando a partir da dificuldade de colocar o produto no mercado, uma estratégia de comercialização que não existia na época, período entre 1995, quando abriu sua empresa para desempenhar essa atividade.
                Com o crescimento da demanda, foi necessário agregar produção de terceiros.
A atividade surgiu pelo aproveitamento da pequena propriedade rural com a finalidade de obtenção de renda.
                Naquela época, durante a entre safra, os clientes ficavam desabastecidos, pois a produção não era levada de forma continua.
               Segundo Jordans, a extração e os cuidados com o mel são semelhantes aos cuidados exigidos para o leite e a carne bovina, ou qualquer outro produto de origem animal, porém é a partir do momento em que o homem beneficia é que vão ser determinados os fatores de qualidade até chegar ao consumidor.
               Satisfazer e atender as necessidade e expectativas atuais e futuras dos consumidores além de procurar oportunidades de mercado e vantagens competitivas entre os concorrentes.
              Como é necessário suprir os custos e manter a atividade, foi necessária a introdução de outros produtos aliados à venda de mel e materiais para cultivo, como ferramenta, vestuário apropriado, maquina de beneficiamento, entre outros.
               Não é um produto criado desde sua composição. Seu sistema de produção é chamado de beneficiamento.
               Mudança de preços e a criação de uma marca de combate com finalidade de competir com a concorrência e aumentar suas vendas.
                Manter política de vendas para seu produto principal.
                Qualidade no serviço prestado ao cliente.
               Sua estratégia de desenvolvimento do produto se baseia nas técnicas de obtenção da qualidade e da prestação de serviços.
                O mel por se um produto natural é desenvolvido pela natureza e produzido pelas abelhas e conhecido pelo homem como alimento há milhares de anos, por suas propriedades e seu uso.
                Além de ser utilizado como adoçante, o mel sempre foi reconhecido devido às suas propriedades terapêuticas.
                De um modo geral, o mel é constituído, na sua maior parte (cerca de 75%), por hidratos de carbono, nomeadamente por açucares simples (glucose e frutose). O mel é composto também por água (cerca de 20%), por minerais (cálcio, cobre, ferro, magnésio, fósforo, potássio, entre outros), por cerca de metade dos aminoácidos existentes, por ácidos orgânicos (acido acético, acido cítrico, entre outros) e por vitaminas do complexo B, por vitamina C, D e E. O mel possui ainda um teor considerável de antioxidantes (flavonoides e fenólicos).
                Devido ao seu teor de açucares simples, de assimilação rápida, o mel é altamente calórico (cerca de 3,5 Kcal/g), pelo que é útil como fonte de energia.
             O mel também é usado extremamente devido à suas propriedades antimicrobianas e anti-sépticas. Assim o mel ajuda a cicatrizar e a prevenir infecções em feridas ou queimaduras superficiais.


                                                           Marcos C. Bezerra 

junho 14, 2007 Posted by | Sem categoria | Deixe um comentário

A PIRATARIA NA WEB

                A internet com todos os seus recursos, tem feito com que coisas particulares ou antes restritas a muitos, se torne de “domínio público”. Hoje é fácil se ver obras de artes, fotos, pinturas sendo expostas a todos, a custo bem baixo, ou seja, custo zero. O que não é físico, mas que pode ser facilmente copiado e usufruído, está sendo os maiores alvos da pirataria da internet, algumas vítimas são as revistas com seus textos e reportagens e os músicos que estão lutando para destruir os Cds e DVD’ s, físicos, que custam somente um valor simbólico se comparado ao original, mas estão com um maior desafio, impedir a disseminação de suas músicas por meios de arquivos que são baixados, copiados e lidos em pouco mais que 5 min.
               Parece que não tem como controlar ou parar, pois a característica da internet é ser aberta e livre, alguém copia uma música e lança e todos têm acesso. Alguns artistas têm usado de estratégia que pode ser uma solução, disponibilizar essas músicas em sites e vende-las por R$ 2,00 e outros valores por música.
               Não se pode parar. A solução é ser criativo e juntar o físico com o acesso aos arquivos com maior tecnologia disponivel

junho 9, 2007 Posted by | Sem categoria | Deixe um comentário

INOVAÇÃO E CONECTIVIDADE

INOVAÇÃO

 

                Inovar é o processo relacionado com o acréscimo permanente de novos elementos aos produtos ou serviços existentes. Não se trata de um processo de invenção ou criação de novos produtos, mas sim de introdução de melhorias em produtos existentes com vista a obter vantagem competitiva.

                De acordo com Gary Hamel apud Ferraz (2002, p. 47) “a maioria das empresas já exauriu as possibilidades de aumentar o lucro por meio de corte de custos, reengenharias e melhora da eficiência. Mais se quiser gerar riqueza, a empresa tem de inovar”.

              Uma empresa pode ser altamente inovadora sem vender um produto tecnologicamente superior ao dos seus concorrentes. A inovação pode surgi no processo, na maneira de abordar o mercado, na gestão.

                As novas e crescentes exigências e os inesperados desafios no contexto do mundo atual exigem que se pense e se aja de um jeito novo.

               Uma boa parte das empresas reconhecem que a Inovação é fundamental para alcançar ou sustentar uma vantagem competitiva num mercado em acelerada transformação, mas é bem restrito o número de Empresas que efetivamente trabalham pela inovação.

               Para isso é preciso primeiramente ousar, ou diria, antes, superar o medo de ousar, porque o sucesso de um negócio está relacionado à capacidade do empreendedor de buscar o diferente, o quase-impossível. É preciso estar aberto para o inesperado, pois só assim será possível reconhecer uma descoberta ou uma oportunidade quando você der de cara com ela.

                A inovação é fruto da criatividade. A criatividade é o meio, o processo e não o produto. Ou seja, é necessário que se tenha um raciocínio criativo para produzir idéias novas que vão gerar coisas novas ou inovação.

                Inovar é pensar o absurdo e transformá-lo em lógico. Einstein dizia que “se, na sua formulação inicial, uma idéia não parecer absurda, ela provavelmente não é uma idéia inovadora”.

                Inovar é gerar alternativas melhores para velhas soluções ou alternativas novas para resolver novos e velhos problemas. Fazer diferente pode fazer a diferença entre liderar ou correr atrás do líder. Para fazer diferente é preciso pensar diferente.

               Um novo olhar exige uma percepção ampliada e um raciocínio divergente, um “estar insatisfeito” e um questionamento permanentes.

                As boas idéias nascem de perguntas. A inovação surge quando acreditamos que tudo pode ser melhorado.

 

CONECTIVIDADE

 

                A conectividade é a capacidade de comunicação dos dispositivos de hardware ou do software com outros hardwares ou softwares.

               O avança da conectividade entre as diversas partes do mudo mudou radicalmente a forma como as empresas e os mercados interagem. Pois, agora, existe um grande número de informações colocadas em circulação pelas tecnologias informacionais.

                A organização de computadores em redes tornou possível a realização de uma série de tarefas. A popularização de pequenas e médias intranets em empresas, escritórios e organizações contribuiu para o aumento de produtividade e eficiência dessa ferramenta de trabalho. No entanto, nem sempre apenas uma intranet é suficiente, e se faz necessário tornar possível à comunicação de clientes remotos com as intranets ou mesmo interligar as intranets a redes maiores como a Internet, por exemplo.

                Com o aplicativo Conectividade Social, a CAIXA está possibilitando mais agilidade e segurança no cumprimento de suas obrigações sociais. Mais do que um simples aplicativo, o Conectividade Social é um canal de relacionamento moderno, adaptado ao seu ambiente de trabalho.Atualmente, o software permite a transmissão do arquivo do Sistema de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social – SEFIP, bem como a operação de toda a sistemática CAIXA PIS-Empresa. Outros serviços, como débito automático da GFIP e GPS e retificação dos dados de seus funcionários, em breve, também estarão disponíveis.

               Conectividade é o requisito básico para construção de toda a nova categoria de aplicações que vem mudando a forma como as corporações têm se relacionado com seus clientes, fornecedores, colaboradores e a sociedade em geral.

                Esta nova geração de aplicações demanda uma infra-estrutura de comunicação eficiente e altamente disponível com recursos de classificação e priorização do fluxo de informações mais importantes para o seu negócio. A utilização de novas tecnologias, baseadas em interfaces Web, aliando multimídia a necessidades organizacionais, resultam em constantes pressões por aumento de capacidade nas infra-estruturas de comunicação.

               A conectividade permite redução de custos e ganho de competitividade, aliando as novas tecnologias às estratégias organizacionais, com exemplos consagrados na utilização de telefonia IP, VPNs (Virtual Private Networks), e-learning (Treinamento a distância), vídeo-conferência, comércio e governo eletrônico, intranets e extranets.

               Convergência digital já é uma realidade. A indústria de telecomunicações, de informática e de conteúdo se uniram há tempos. Hoje, é possível assistir aos gols da última rodada do campeonato brasileiro pelo telefone celular ou acessar e-mails logo após a novela das oito por meio do aparelho de televisão.

 

EXEMPLOS DO MERCADO LOCAL “VITÓRIA DA CONQUISTA”

               Exemplos de empresas locais que usam a tecnologia da informação para gerar inovação e conectividade.

  • Labo –Laboratório de Análises Clínicas – A empresa já efetua marcação de consultas via Internet.

  • O Instituto de Ensino Superior Juvêncio Terra – Pela Internet os alunos podem acompanhar as suas notas.

  • Farmácia de Manipulação Marcela Dourada – Os clientes podem solicitar suas fórmulas enviando e-mails para a empresa.

  • A StarColor – Os clientes podem enviar suas fotos digitais para o e-mail da empresa e solicitar a impressão.

 

                                                           Marcos C. Bezerra

junho 3, 2007 Posted by | Teorias | 5 Comentários

Jogos Cooperativos

image54.jpg            Hoje em dia o aumento da conscientização da necessidade de incentivar e desenvolver o espírito de cooperação, de participação numa comunidade, vem transformando profundamente o estilo de se trabalhar em grupo. Um dos quesitos mais valorizados é a própria capacidade cooperativa na hora de conseguir emprego, se torna necessário, pois no mundo de hoje fica evidente a dependência da ajuda das pessoas que estão ao seu redor, caso contrário torna – se difícil ir muito longe sozinho. Há tempos atrás, as grandes invenções eram atribuídas a uma pessoa, como exemplo o telefone e a lâmpada. Com a necessidade exigida pelo mercado, hoje são as equipes que trabalham em conjunto, e unir-se de maneira eficiente tornou-se muitíssimo importante.Nos jogos cooperativos existe cooperação, que significa agir em conjunto para superar um desafio ou alcançar uma meta, enquanto que nos jogos competitivos, cada pessoa ou time tenta atingir um objetivo melhor do que o outro. Ex.: marcar gols, cumprir um percurso em menor tempo, etc. Torna – se importante frisar que as empresas há algum tempo aderiram aos jogos cooperativos com afinco, buscando um melhor rendimento dentro da organização, pois visualizaram o poder e a eficiência do mesmo que se propõe a trabalhar em conjunto. Enfim, é evidente que a utilização dos jogos cooperativos, ajudam e norteiam as pessoas, como conseqüência disso, uma visão mais ampla do mundo possibilitando novos horizontes. 

Vagner Dias

maio 31, 2007 Posted by | Notícias | 2 Comentários

LEITURA RECOMENDADA IV

o-monge-e-o-executivo2.jpg O Monge e o Executivo, JAMES C. HUNTER

Sinopse

Se você tem dificuldade em fazer com que sua equipe dê o melhor de si no trabalho e gostaria de se relacionar melhor com sua família e seus amigos, vai encontrar neste livro personagens, idéias e discussões que vão abrir um novo horizonte em sua forma de lidar com os outros. É impossível ler este livro sem sair transformado. O Monge e o Executivo é, sobretudo, uma lição sobre como se tornar uma pessoa melhor.

 

 

Libertem o líder que há em você lendo está obra.

                                                         Marcos Bezerra

 

maio 30, 2007 Posted by | Leitura Recomendada | 2 Comentários

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.